Procedimentos Urgentes na Odontologia

Procedimentos Urgentes na Odontologia

Procedimentos Urgentes na Odontologia

1. Dor odontológica aguda decorrente de inflamações da polpa (Pulpite):

A Pulpite é uma reação inflamatória que acomete a polpa dentária, ou seja, a região do nervo presente no interior (raiz) do dente. Essa inflamação está associada a um histórico de trauma dentário, seja ele causado por algum acidente, seja causado por uma cárie em estágio avançado, que compromete a estrutura dental até a região da polpa. Na maioria dos casos é decorrente de uma cárie avançada, a qual não foi tratada ou corretamente tratada.

A dor decorrente da Pulpite é uma dor aguda, contínua e intensa, que ocorre devido a pressão feita pela polpa do dente quando essa está em processo inflamação. Outro sintoma comum em caso de pulpite é a presença de edema na cavidade oral.

É importante salientar que ao primeiro sinal de dor dentária é importante procurar um dentista, para que o tratamento possa ser o mais tranquilo possível, evitando danos maiores e/ou irreversíveis.
Para o tratamento da Pulpite é indicado fazer o tratamento da região da polpa dentária, inicialmente com foco em sanar a dor do paciente e, em um segundo momento, fazer o tratamento de canal completo. Além disso, torna-se necessário usar uma meditação apropriada para aliviar os sintomas de dor e inflamação. Lembrando que só a medicação não é suficiente. O uso de analgésicos pode aliviar temporariamente a dor mas apenas o tratamento local da polpa pode sanar a dor por completo.

2. Cáries extensas ou restaurações com problemas que estejam causando dor:

Uma cárie extensa ou uma restauração que não está satisfatória, ou seja, está com cárie entre a estrutura dentária e o material restaurador, leva a uma dor que geralmente piora ao estímulo externo como frio ou doce. Isso acontece pela exposição da dentina dentária (parte mais interna do dente) causada pela cárie. Quanto mais profunda é a cárie, maior é a intensidade da dor, por estar mais próxima da região da polpa dentária, onde temos as terminações nervosas do dente. A lesão de cárie é caracterizada por mancha branca ou escura, geralmente acompanhada por uma cavidade.

Uma outra dor comum que não deve ser confundida com cárie é a sensibilidade dentária. Essa situação ocorre quando há uma retração/ recessão da gengiva, expondo uma parte da região da raiz, área mais sensível do dente. Essa sensibilidade geralmente piora com estímulo externo como o frio e ácido. Não é uma dor contínua e nem tão intensa.

O diagnóstico da causa, assim como o tratamento, precisa ser feito por um dentista através de um exame clínico. O tratamento para cárie é a remoção por completo da mesma e restauração da estrutura dentária com materiais restauradores apropriados, como resina composta.

3. Pericoronarite ou dor relacionada a processos infecciosos envolvendo os terceiros molares (dente do siso) retidos:

A Pericoronarite é um processo inflamatório em um dente que está em processo de erupção e, nesse momento, está parcialmente coberto pela gengiva. É mais comum ocorrer nos terceiros molares (dentes do siso).

Os principais sintomas são edema e dor local. Ocasionalmente pode causar mau hálito, dificuldade em abrir a boca (trismo), dificuldade em se alimentar e até mesmo febre.

A Pericoronarite pode ser provocada pela má higiene bucal aliada ao dente no processo de erupção. Pelo fato do dente estar parcialmente incluso na estrutura óssea, a higiene fica mais prejudicada e a região mais propícia ao acúmulo de placa bacteriana.

O tratamento geralmente envolve o uso de medicações como anti-inflamatórios, analgésicos e até mesmo antibióticos. Além disso é preciso avaliar se o caso é indicado para remoção do dente (exodontia) ou requer remoção no tecido gengival que está cobrindo o dente, facilitando assim a higiene do local.

4. Alveolite pós-operatória, controle ou aplicação medicamentosa local:

A Alveolite é uma infecção do alvéolo, que é a parte interna do osso, onde se encaixa o dente. Ocorre após a extração do dente e alteração do processo de cicatrização. Como por exemplo, não formação ou deslocamento do coágulo, má higiene da região, causando uma infecção local.

A principal sintomatologia é dor intensa que surge de 2 a 3 dias após a extração, como pouca melhora mesmo utilizando analgésico. Alguns casos podemos perceber mau cheiro na região, inchaço, presença de pus e até mesmo febre. O tratamento indicado é realizar a limpeza da região associada ao uso de medicação adequada.

Para evitar esse tipo de problema é importante seguir todas as recomendações de cuidados pós operatórias prescritas pelo profissional, como manter uma boa higiene local, não usar bochechos, não mastigar na região operada.

5. Abscessos (dentário ou periodontal) ou infecção bacteriana, resultando em dor localizada e edema.

O abscesso é um processo inflamatório que resulta em uma coleção purulenta e pode ocorrer na região de ápice da raiz ou na região gengival/periodontal. Nota-se um aumento no volume gengival na região acometida, associado a um incomodo ou dor. Isso ocorre devido a uma infecção bacteriana não tratada, ou seja, crônica.



O Abscesso Periodontal acontece ao redor do dente, causado pelo acúmulo crônico de placa bacteriana na região gengival. Já o Abscesso Periapical acontece ao redor do ápice da raiz do dente e é causado pela infecção crônica dentro de um canal (nervo do dente).

A infecção não tratada gera uma coleção purulenta que aumenta de tamanho, levando a reabsorção do osso ao redor, até essa infecção achar um caminho no osso até a gengiva, onde ocorre uma drenagem do liquido inflamatório.

O tratamento requer drenar o abscesso, medicar e tratar a causa que levou ao abscesso. Assim que notar os sintomas procure rapidamente um dentista para sanar o processo inflamatório.

6. Fratura de dente, resultando em dor ou causando trauma do tecido mole bucal.

Dental com avulsão ou luxação.
Uma fratura dentária pequena pode ser resolvida com uma restauração da estrutura perdida. Alguns casos mais graves podem exigir um tratamento de canal quando acomete a região da polpa (nervo) do dente.

Casos que evolvem locomoção parcial ou total do dente é mais grave pois há um rompimento no fornecimento do sangue para a polpa do dente. Geralmente ocorre com o impacto do dente contra um local ou superfície muito resistente, fazendo com que ocorra o deslocamento do dente para fora da sua cavidade (alvéolo)

Assim que ocorrer o acidente é importante procurar ajuda odontológica com urgência para tentar o reimplante do dente. Manter o dente armazenado em um meio úmido com soro fisiológico, leite, saliva ou água até chegar no dentista. Quando o dente sai totalmente do local e passa-se um tempo considerável fora da boca, mais de 60 minutos, a chance de sucesso na recolocação do dente no alvéolo é bem menor. O dente reimplantado requer acompanhamento periódico, pode ser necessário deixa-lo fixo aos dentes vizinhos por um período e até mesmo realizar o tratamento de canal.

7. Emergências associadas a prótese dentária:

Em caso de cair/soltar uma coroa ou prótese fixa, é necessário realizar a cimentação ou fixação das mesmas, sejam elas restaurações provisórias ou definitivas.

Em caso de quebra, sempre que possível, o profissional fará um conserto e, em um segundo momento, deve ser feita uma nova prótese caso essa quebra seja irreversível ou implique em alguma falha maior futuramente.

Além disso, em casos de próteses removíveis que estejam causando dor ou com a função mastigatória comprometida, é indicado o ajuste ou reparo da mesma.

8. Emergências associadas ao uso de aparelho Ortodôntico:

Pacientes que usam aparelhos devem tomar um cuidado maior com a alimentação para evitar quebra ou soltura de bracket. Além dessa intercorrência é comum acontecer do fio ortodôntico machucar a mucosa bucal (bochecha). Nesses casos é necessário realizar o ajuste, troca ou remoção do arco ou dispositivo ortodôntico que estiver ulcerando a mucosa bucal.

9. Emergência que acometem as crianças:

É comum as crianças sofrerem acidentes na primeira infância por serem bem ativas e ainda estarem desenvolvendo suas habilidades motoras. Parte desses acidentes podem levar a traumatismos na região da boca, os quais podem ir desde um sangramento na gengiva ou nos lábios até a fraturas dentárias e deslocamento do dente.

Cuidados a serem seguidos quando o paciente bate os dentes:

  • 1. Se conseguir recuperar algum fragmento do dente quebrado ou se o dente sair da boca armazene em um recipiente limpo com soro fisiológico, leite ou água e leve imediatamente para o dentista;
  • 2. Se for um trauma na mucosa, manter alimentação pastosa e evitar alimentos quentes. Cuidado na hora da escovação para não traumatizar mais;
  • 3. Fique atento a mudanças na coloração que podem ocorrer no dente traumatizado ou no surgimento de fístula, uma bolinha parecida com uma afta na gengiva acima do dente que sofreu o trauma. Caso note esses sintomas agende uma consulta com um Odontopediatra o mais rápido possível.

Siga Nossas Redes Sociais

FACEBOOK
INSTAGRAM
YOUTUBE


Pessoas que leram este artigo, leram também:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *